Conheça o maior movimento de todos os tempos

Estamos inseridos em um sistema totalmente equivocado…

Um sistema que coloca a economia como o fator determinante para a felicidade de uma população.

Ficamos tão obcecados pelo crescimento econômico que acabamos deixando as relações humanas e a natureza em segundo plano.

Nesse sistema o individualismo e a competição são estimulados e dessa forma vivemos sempre em estado de conflito.

Nos noticiários vemos crise, atentados, intolerância e desastres naturais, muitas vezes causados pela ação do homem na terra.

Esquecemos de nossa essência e nos tornamos seres consumistas para preencher um vazio existencial.

Nos desconectamos daquilo que nos mantém vivos, daquilo que faz parte de nós… a natureza.

Porém existe um movimento que já está em ordem que nos dá motivos para acreditar em um mundo melhor. E não sou só eu quem acredita nisso.

Segundo Paul Hawken – ambientalista, empresário e escritor americano – estamos falando de um movimento muito mais profundo e transformador do que podemos imaginar.

Um movimento grandioso que temos dificuldade de enxergar, porque acontece de forma espontânea, sem armas, sem guerra, sem ser manchete na grande mídia… esse movimento não tem nome, não tem um líder, etnia, ideologia ou doutrina.

Esse movimento não começou precisamente agora e não tem um único responsável. Mas uma coisa é certa, esse movimento está cada vez mais forte.

Aposto que você está curioso para saber qual é esse bendito movimento… agora vem a parte que eu queria chegar. ; )

No livro Abençoada Inquietação (Blessed Unrest), Paul Hawken descreveu como em todo o mundo, centenas de milhares de organizações da sociedade civil, grupos comunitários, redes de ativistas, empresários, empreendedores e inovadores sociais estão trabalhando para um mundo mais justo, equitativo e sustentável, na qual a humanidade pode prosperar e com uma cultura regenerativa ao invés da força destrutiva.
Ele chama este emergente e crescente acontecimento de movimento global.

“[…] Estamos em um limiar na existência humana, uma mudança fundamental na compreensão sobre a nossa relação com a natureza e entre si. Estamos passando de um mundo criado por privilégio para um mundo criado por comunidade.”

Clique no botão “legendas” para ver vídeo legendado.

Paul Hawken gastou mais de uma década pesquisando organizações dedicadas em restaurar o meio ambiente e promover justiça social. De empresas bilionárias sem fins lucrativos a causas de uma única pessoa, esses grupos de interesse compõe segundo ele o maior movimento social jamais visto antes na face da terra.

Pode parecer exagero, mas se você parar para analisar verá um crescente desejo de mudança por parte das pessoas, uma vontade cada vez mais presente de fazer algo pelo bem social, pelo coletivo.

Esses projetos não aparecem na primeira capa do jornal pois são pacíficos, não movem bilhões na economia, mas tem um poder transformador muito maior do que se pode imaginar.

Ainda que o velho sistema impere até os dias de hoje, pouco a pouco ele vai se mostrando insustentável, antiquado e pouco inteligente. Eu diria o movimento global ao qual Paul Hawken se refere é uma resposta propositiva, contundente e inteligente a um sistema destrutivo e frio que não mais faz sentido.

O que seremos? Como seremos? Que mundo vamos deixar para as futuras gerações?
Qual papel você quer ter nessa mudança irreversível pela qual estamos passando?

Perguntas como essas podem nos guiar para tomar decisões e ter atitudes mais sábias para contribuir para um mundo melhor.

Para finalizar deixo uma frase de Jean-Yves que tem tudo a ver com o momento pelo qual estamos passando.
“Nós escutamos o barulho do carvalho que cai, mas não escutamos o barulho da floresta que cresce. Hoje, fala-se muito das coisas que estão desmoronando, que fazem barulho, mas o mais importante é aquilo que não se ouve; é preciso prestar atenção às sementes de consciência que estão brotando”. Jean-Yves Leloup.

Você também acredita nesse movimento? Quer compartilhar seu ponto de vista com a gente?